Gotemara a Senhora do Clima

Foi uma camponesa refugiada de campos de escravos de algum lugar na Savoss Oriental. Segundo as histórias ela eremitou por anos e sua lenda acabaria ali se capatazes e credores não tivessem surgido em busca de sua propriedade. Igualmente acabaria ali se ela não tivesse sido agraciada com o poder do relâmpago e do clima para fulminar seus agressores.
Gotemara atualmente é conhecidamente volátil e representa as forças da natureza, especialmente o clima. Em vida ela controlava os céus e o mar, mas pouco se sabe sobre seus feitos. Ao que parece ela era geniosa e atendia pedidos com a mesma velocidade que subitamente os esquecia, agraciava plantações com chuva para congelá-las em um acesso de raiva. Hoje os habitantes de Savoss oferecem todo tipo de item para a deusa esperando uma boa colheita ou viagem marítima.
Os sacerdotes de Gotemara se aproveitaram da geniosidade da deusa para aceitar qualquer coisa como doação e para justificar comportamentos tempestivos. Não será comum um sacerdote de Gotemara participar de outros empreendimentos e ser proprietário de fazendas, lojas e negócios graças a bonança oriunda de sua devoção. Porém, corroborando a crença, muitos deles perdem tudo em jogos de azar ou em apostas de alto risco e alta recompensa, lidando com agiotas da Moeda Branca e agências com planos de explorações abirutados.

Gotemara a Senhora do Clima

Savoss: A arte do Presságio tonini